Uruguaios e colombiano são processados por contrabando ao Brasil

Montevidéu, 19 dez (EFE).- Cinco empresários - quatro uruguaios e um colombiano - foram processados e presos no Uruguai sob a acusação de um milionário contrabando para o Brasil, informaram hoje fontes judiciais.

EFE |

Segundo as autoridades, a partir de free shops (lojas livres de impostos), era adulterada documentação para a entrada no Brasil de contrabando de milhares de litros de uísque e perfumes, que eram transportados em caminhões para São Paulo.

Segundo estimativas dos investigadores, as manobras de contrabando podem ter representado aos empresários cerca de US$ 50 milhões.

Entre os processados, estão dois uruguaios proprietários de free shops da cidade uruguaia de Chuy, no departamento de Rocha e vizinha à brasileira Chuí.

A Justiça uruguaia, após uma investigação de vários meses que incluiu filmagens, escutas telefônicas e análise de e-mails, conseguiu as provas para os processamentos.

O empresário colombiano, de origem palestina e radicado em Cidade del Este (Paraguai), estava associado a um irmão, para a venda do contrabando.

Na operação, também foram detidos gerentes uruguaios das empresas que cederam contas bancárias pessoais para movimentar milhões de dólares dos negócios.

As investigações continuam, porque se suspeita que uma manobra semelhante era utilizada para enviar contrabando aos Estados Unidos.

Além disso, há indícios de que funcionários alfandegários colaboraram com a organização para adulterar documentos e esconder a fraude. EFE jf/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG