Uruguaio Eduardo Galeano pede desculpas por Guerra do Paraguai

Assunção, 15 ago (EFE) - O escritor uruguaio Eduardo Galeano pediu hoje publicamente desculpas aos paraguaios pela Guerra do Paraguai, que opôs o país a Brasil, Argentina e Uruguai entre 1864 e 1870. Quero aproveitar a ocasião para pedir desculpas como uruguaio, porque esse castigo foi propinado através de três países vizinhos do Paraguai, afirmou Galeano em entrevista coletiva da qual participaram os chefes de Estado de Venezuela, Hugo Chávez; Equador, Rafael Correa; e Paraguai, Fernando Lugo. Junto a Galeano estava o teólogo da libertação Leonardo Boff e o poeta nicaragüense Ernesto Cardeal. O autor de As Veias Abertas da América Latina lamentou a participação uruguaia em uma guerra que foi anunciada que duraria três meses, mas se prolongou por cinco anos e exterminou toda a população masculina adulta deste país. Ele acrescentou que o conflito bélico também acabou com a má semente do desenvolvimento independente que os Governos paraguaios dessa época tinham implementado perante o modelo promovido por Reino Unido e Estados Unidos. A mal chamada liberdade de comércio, que como bem sabemos é uma liberdade que engaiola uma grande mentira, porque é o nome que o norte do mundo dá a tudo o que não pratica, mas é tudo o que predica, afirmou o uruguaio. Já Boff expressou satisfação por ter participado da posse de Lugo e disse: Acho que todos os que estão nesta mesa são da libertação e para mim, que venho dessa teologia, sinto-me extremamente ...

EFE |

A América Latina vive um momento diferente", afirmou Lugo. EFE lb/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG