Uruguai quer reunião com Argentina para discutir questão das papeleiras

Montevidéu, 20 abr (EFE).- O chanceler do Uruguai, Luis Almagro, anunciou que chamará hoje seu colega argentino, Jorge Taiana, para fixarem um encontro entre os presidentes José Mujica e Cristina Kirchner para discutir a questão das papeleiras após a decisão da Corte Internacional de Justiça (CIJ), que deu razão ao Uruguai.

EFE |

Almagro pediu o "trabalho conjunto" com a Argentina para solucionar o conflito e indicou que seu país tratará "com cuidado" das negociações sobre o bloqueio de uma ponte fronteiriça por parte de manifestantes argentinos contrários à papeleira uruguaia, mas frisou que esse continuará sendo um "tema prioritário" para o Uruguai.

Em entrevista coletiva em Punta del Este, a cerca de 140 quilômetros ao leste de Montevidéu, o chanceler reafirmou a "mais ampla disposição" de seu país em estabelecer "caminhos de entendimento, diálogo e desenvolvimento conjunto com a República Argentina".

"Queremos reafirmar nosso compromisso com o trabalho conjunto e conseguir que as disposições contidas nesta decisão sejam voltadas para o bem, para melhorar as relações entre os dois países", acrescentou.

Além disso, ele se mostrou convencido de que a sentença da CIJ, sediada em Haia, servirá para dar "um marco normativo mais amplo, mais analisado, mais profundo" sobre a forma de usar o Estatuto do Rio Uruguai e de estudar a futuro os projetos de investimento nessa fronteira.

Em sua sentença sobre a disputa, o tribunal considerou nesta terça-feira que o Uruguai não descumpriu suas obrigações de proteção do meio ambiente na construção de uma fábrica de papel e celulose da empresa finlandesa Botnia no rio Uruguai, como denunciou Argentina.

A causa tramitava na CIJ desde 2006.

Há mais de três anos, organizações ambientalistas e habitantes da cidade argentina de Gualeguaychú, vizinha da uruguaia Fray Bentos, onde está a fábrica de celulose inaugurada em 2007, bloqueiam a ponte internacional que une a ambas em sinal de protesto. EFE rac/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG