Uruguai nega voto a Néstor Kirchner para liderança da Unasul

Montevidéu, 23 out (EFE).- O Uruguai não apoiará a designação do ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner como secretário-geral da União de Nações Sul-americanas (Unasul), conforme informou o Governo à oposição e fontes políticas hoje confirmaram.

EFE |

Segundo informaram à Agência Efe fontes do Partido Nacional, o chanceler uruguaio, Gonzalo Fernández, comunicou à principal força da oposição que o Governo Tabaré Vázquez não apoiará a candidatura de Kirchner para o posto, criado recentemente.

Um porta-voz da Chancelaria uruguaia disse à Efe que "por enquanto não há comentários" a respeito.

Em informações divulgadas nesta quinta-feira pela imprensa uruguaia, o ex-presidente Luis Alberto Lacalle e o dirigente do Partido Nacional Jorge Larrañaga mostraram seu apoio à postura do Governo de Vázquez.

As outras duas forças opositoras com representação parlamentar, o Partido Colorado e o Partido Independente, também foram informadas da decisão do Executivo e mostraram seu apoio, segundo fontes das legendas.

A razão do veto é o apoio dado por Kirchner, quando presidente, ao bloqueio por parte de ecologistas argentinos às pontes internacionais que unem ambos os países sobre o rio Uruguai, em um protesto contra a instalação de uma fábrica de celulose na margem uruguaia. EFE jas/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG