Bariloche (Argentina), 28 ago (EFE).- O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, afirmou hoje na Cúpula Extraordinária da União de Nações Sul-americanas (Unasul) que não deve existir bases militares estrangeiras na América do Sul, mas defendeu a não-intervenção em assuntos internos de outros países.

Vázquez é um dos líderes que participa da cúpula da Unasul que debate, em Bariloche, na Argentina, o acordo para que militares americanos possam usar bases colombianas, que fez subir a tensão na região.

"O Uruguai defende a não-intervenção de assuntos internos de outros Estados", mas "rejeita há 200 anos a existência em nosso território de bases militares estrangeiras, como também não devem existir bases estrangeiras em outros países da América do Sul", disse o líder durante discurso na cúpula.

"Por isso o Uruguai rejeitou as bases britânicas nas Ilhas Malvinas (onde ocorreu em 1982 uma guerra entre Argentina e Reino Unido pelo domínio do território). O Uruguai se negou há um mês a receber um avião militar britânico que opera nas ilhas Malvinas.

Devemos tomar posições doutrinárias firmes", afirmou Vázquez.

O presidente do Uruguai defendeu a busca de saídas "pacíficas" às "controvérsias" na região. EFE ms/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.