Urso mata dois militantes muçulmanos na Caxemira

Um urso matou dois militantes muçulmanos depois de encontrá-los em sua toca, na parte da Caxemira administrada pela Índia, segundo informou a polícia nesta terça-feira. Outros dois homens conseguiram fugir - um deles gravemente ferido - depois do ataque, no distrito de Kulgam.

BBC Brasil |

Os militantes tinham rifles, mas foram pegos de surpresa.

Acredita-se que este seja o primeiro incidente do tipo desde que separatistas muçulmanos pegaram em armas contra o governo indiano, em 1989.

Mais animais
Segundo o chefe da polícia Farooq Ahmed, os militantes haviam se instalado em uma caverna que servia de toca para o urso.

Os dois mortos foram identificados como sendo Mohammad Amin, também conhecido como Qaiser, e Bashir Ahmed, apelidado de Saifullah.

Quando o militante ferido foi buscar ajuda médica em um vilarejo próximo, a polícia acabou sendo informada do ataque.

No esconderijo, os policiais encontraram rifles e munição.

Biólogos afirmam que o conflito na Caxemira provocou o aumento da população de ursos e leopardos na região, já que após um levante de insurgentes as pessoas foram obrigadas a entregar suas armas à polícia.

Com isso, a caça diminuiu, mas aumentaram os casos de incidentes entre homens e animais selvagens.

Há três anos, moradores do vilarejo de Mandora, no sul da Caxemira, mataram a pauladas um urso pardo que invadiu o local.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG