Bogotá, 4 abr (EFE).- O presidente colombiano, Álvaro Uribe, reiterou hoje seu pedido às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para que cessem suas ações terroristas durante quatro meses a partir da próxima Semana Santa caso queiram negociar um acordo de paz.

Uribe deu tais declarações durante um conselho comunal de Governo na cidade de Popayán, no sudoeste colombiano.

Ontem, também em Popayán, o presidente da Colômbia sugeriu às Farc suspenderem por três ou quatro meses suas ações violentas com o objetivo de criar as condições para "empreender um processo de negociação".

"Esses bandidos deveriam dizer ao país: vamos contribuir, vamos ficar três ou quatro meses sem um ato de violência", disse Uribe.

Uribe advertiu que, caso as Farc continuem com suas ações violentas, ninguém no mundo dialogará com elas.

Para o chefe de Estado, a guerrilha deve tomar atitudes que demonstrem um compromisso sério com a paz.

"Se querem negociar e serem tratados como compatriotas, que parem com o terrorismo. A paz tem que ser a sério", afirmou hoje Uribe.

Durante seu discurso, o presidente da Colômbia lembrou as últimas ações terroristas dos rebeldes e pediu à população colombiana para que as denuncie quando ocorram.

"(Os guerrilheiros) não podem deixar os camponeses sem transporte e matar os soldados para depois enganarem o país e dizerem que querem acordos humanitários e diálogos de paz", insistiu Uribe.

No domingo passado, a guerrilha anunciou sua renúncia a sua exigência de uma zona desmilitarizada para fechar o acordo para a troca de policiais e militares sequestrados por guerrilheiros presos. EFE rrm/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.