Uribe pede novamente a Chávez que detenha Farc na fronteira

Bogotá, 3 mai (EFE).- O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, pediu hoje novamente ao seu colega da Venezuela, Hugo Chávez, que ajude a deter os integrantes guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) que na quarta-feira, 29 de abril, mataram oito militares colombianos na fronteira entre os países.

EFE |

"Fazemos um pedido respeitoso e urgente ao presidente (da Venezuela, Hugo) Chávez, comandante das Forças Armadas da Venezuela, para que estes assassinos de nossos soldados possam ser capturados", disse Uribe em Valledupar, no nordeste da Colômbia, para onde viajou a fim de se informar sobre o ataque.

O pedido é o segundo que Uribe faz a Chávez desde o dia do ataque.

As vítimas eram soldados profissionais de um batalhão de luta antiguerrilha que desativavam minas terrestres em um das colinas da serra do Perijá, na fronteira entre Colômbia e Venezuela.

Eles foram atacados na quarta-feira com morteiros e rajadas de fuzil por integrantes da frente 59 das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

"O grupo narcoterrorista das Farc que os assassinou, em clara violação da soberania da irmã República da Venezuela, veio do território da república irmã e lá se refugiou, depois do assassinato, como aponta a inteligência militar colombiana", denunciou Uribe. EFE jgh/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG