Uribe pede a rebeldes que libertem vereador e oferece recompensa

BOGOTÁ (Reuters) - O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, pediu no domingo aos rebeldes das Farc que sequestraram um vereador de uma cidade do centro do país que o libertem e desertem da guerrilha, e ofereceu uma recompensa de 227 mil dólares. Guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) invadiram há nove dias o povoado de Garzón, no Departamento de Huila, e sequestraram o vereador Armando Acuña, do Partido Conservador, em uma ataque que causou a morte de um policial e dois seguranças particulares.

Reuters |

Um soldado também morreu nas primeiras operações de perseguição aos guerrilheiros.

O sequestro é considerado o mais recente golpe à política de segurança do presidente Uribe, que tem sua popularidade garantida por uma ofensiva contra as Farc, grupo rebelde que perdeu vários de seus comandantes em ataques e bombardeios.

"Oferecemos para o resgate do vereador uma recompensa de até 500 milhões de pesos", disse Uribe a jornalistas.

"Se os guerrilheiros o libertarem, abandonarem as Farc, se desmobilizarem, podem contar com uma recompensa de até 500 milhões de pesos. O governo dará todas as garantias", acrescentou.

Uribe disse que apesar da oferta de uma recompensa, o Exército mantém uma ofensiva militar para tentar resgatar o político.

As Farc, que chegaram a ter cerca de 17 mil combatentes, têm sido dizimadas por uma ofensiva militar liderada por Uribe com apoio dos Estados Unidos. Os guerrilheiros foram obrigados a se refugiar em zonas montanhosas distantes e de selvas.

Apesar disso, o grupo mantém presença em regiões rurais, a maioria em zonas estratégicas para a produção e o tráfico de cocaína, a principal fonte de financiamento do grupo rebelde, segundo o governo.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG