Uribe não faz nada por reféns das Farc, diz ex-governador libertado

VILLAVICENCIO - O ex-governador Alan Jara, refém das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) libertado nesta terça, acusou o presidente Álvaro Uribe de não fazer nada pelos sequestrados, e disse que sua atitude indica que lhe convém a situação de guerra vivida no país.

Redação com agências internacionais |


Jara, que foi libertado após mais de sete anos de cativeiro, participou de uma entrevista coletiva em Villavicencio, capital do departamento de Meta, para onde foi levado por uma missão humanitária desde as selvas do Guaviare (sul do país).

"Digo isso com clareza, sinto de todo o coração que Uribe não fez nada pela nossa liberdade. A atitude do presidente não ajudou em nada na troca humanitária", manifestou o ex-refém.

"E não digo isso com ressentimento, nem com amargura pelos anos que tive de passar na selva, mas porque essa é a análise que fazemos", acrescentou o ex-governador de Meta.

Durante a coletiva, Jara advertiu que diria uma "perversidade", antes de afirmar que "o presidente parece gostar da situação de guerra vivida no país, e parecesse que as Farc gostam que Uribe esteja no poder".

"Os fatos que sempre partem de uma ou outra direção apontam para o mesmo. Não há avanço na troca humanitária, não há avanço no diálogo político", disse Jara ao explicar sua afirmação.

Jara também advertiu que "as Farc não estão derrotadas". "Nas últimas semanas que passei caminhando na selva, pude acompanhar de perto o dia-a-dia da guerrilha, e as Farc não estão derrotadas", afirmou Jara durante a coletiva. "Muitos jovens continuam a se juntar às Farc. Não vejo outra saída que a negociação. A solução é política", insistiu.

Leia também:

  • Após libertação de reféns, Colômbia sofre atentado
  • Helicóptero com 4 reféns colombianos das Farc chega a Villavicencio


    Leia mais sobre:
    Farc

    • Leia tudo sobre: farc

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG