Uribe exalta memória de líder político assassinado há 20 anos

Bogotá, 18 ago (EFE).- O presidente colombiano, Álvaro Uribe, exaltou hoje a memória de Luis Carlos Galán, ex-candidato à Presidência assassinado há 20 anos, ao dizer que representava a verticalidade encarnada.

EFE |

Ao discursar no fórum "Os desafios da democracia na Colômbia e na América Latina", realizado em Bogotá, Uribe disse que o líder político tinha sido "crivado por uma história criminosa" que é preciso ser derrotada.

Lembrou que Galán sempre defendeu, arriscando sua própria vida, "aquilo que considerava útil para o país", e ressaltou que foi um impetuoso lutador democrático.

Uribe lembrou que Galán, assassinado em 18 de agosto de 1989 em Soacha, localidade próxima a Bogotá, durante um ato político, foi ministro da Educação com menos de 27 anos, o que não o impedia de ter uma visão clara sobre a Colômbia do momento.

Ao fim do discurso, Uribe disse que uma forma de render uma homenagem ao político morto é, quando terminar seu mandato, poder olhar o povo nos olhos, "por ter combatido todos os criminosos, com toda a firmeza e em todos os momentos, tentando ter como ponto de referência a verticalidade de Luis Carlos Galán".

Nesta terça-feira, o ex-diretor Departamento Administrativo de Segurança (DAS, inteligência estadual) Miguel Maza Márquez se entregou depois de a Promotoria da Colômbia ter emitido uma ordem de captura.

Segundo fontes da Promotoria, a ordem contra Maza Márquez seria pelo crime de homicídio agravado.

Maza Márquez, segundo as mesmas fontes, teria mudado horas antes do atentado a escolta oficial de Galán, candidato presidencial pelo Partido Liberal e assassinado em uma praça pública.

Segundo investigações da Promotoria, no crime houve participação de Pablo Escobar, ex-líder do cartel de drogas de Medellín morto em 1993, e políticos como Alberto Santofimio Botero, condenado pelo assassinato de Galán e absolvido em segunda instância por falta de provas.

Luis Carlos Galán era o favorito para vencer as eleições presidenciais de 1990, em que foi eleito presidente o então chefe de campanha, César Gaviria (1990-94). EFE ocm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG