Uribe diz que pela primeira vez conflito nuclear na região o preocupa

Bogotá - O presidente colombiano, Álvaro Uribe, admitiu neste sábado pela primeira vez que o preocupa muito que a região possa se ver comprometida em um conflito nuclear.

EFE |

"A nós nos preocupa muito, e não posso deixar de dizê-lo, que sejam levados para nossa vizinhança a guerra nuclear", afirmou Uribe perante um auditório de colombianos reunidos na cidade americana de Boston.

"Isso não podemos permitir de nenhuma maneira", acrescentou o governante, cuja declaração em Boston foi divulgada pelo site da Presidência da Colômbia.

Uribe advertiu que devia dizer "com toda clareza" o que pensava do eventual entrada de países da região na corrida nuclear, em uma tácita referência à Venezuela, que informou de projetos de cooperação neste âmbito com Irã e Rússia.

O governante colombiano assegurou que seu país não é um perigo para a região, como o consideraram alguns chefes de Estado da área, entre eles o venezuelano, Hugo Chávez, ao rejeitar o acordo de cooperação militar recentemente negociado por Washington e Caracas.

O acordo, pendente de ser assinado, facilitará aos americanos acesso a pelo menos sete bases aéreas e marítimas colombianas, para tarefas relacionadas com a luta antidrogas e contra os grupos armados ilegais da Colômbia.

"Nossa única preocupação foi superar o conflito, estas dificuldades internas, este terrorismo interno, esta ordem pública interna", asseguro Uribe, para quem tal acordo pode ser assumido como um desenvolvimento do Plano Colômbia, em andamento há quase uma década e financiado por Washington.

Segundo ele, os Estados Unidos não precisam "montar (na Colômbia) uma plataforma" para atacar outros países, como o asseguraram os críticos deste acordo.

"Nós não estamos em uma atitude defensiva internacional, nem a Colômbia está se preparando para uma guerra internacional", continuou Uribe, que por outro lado defendeu a compra de equipamentos militares realizada nos últimos anos, entre eles de helicópteros e aviões de combate.

Leia mais sobre: Uribe

    Leia tudo sobre: américa latinacolômbianuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG