Uribe desiste de convocar referendo que ratificaria sua eleição

BOGOTÁ - O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, desistiu, nesta sexta-feira, de apresentar uma proposta de referendo para repetir as eleições presidenciais de 2006, depois da decisão da Corte Constitucional de não revisar a reforma que possibilitou sua reeleição.

EFE |

O ministro de Interior e Justiça colombiano, Fabio Valencia, declarou à imprensa que o governante desistiu de apresentar o referendo anunciado, porque a Corte deixou "suficientemente claro" que não existe dúvida sobre a legalidade da reforma constitucional que permitiu a reeleição.

"Chamei o presidente esta manhã, comentei toda esta situação e pedi a ele que desistíssemos de apresentar o referendo que tinha sido anunciado e ele aceitou realmente que desistíssemos. De modo que a notícia é que não será apresentado o referendo", disse o funcionário.

A Corte Suprema de Justiça (CSJ) tinha solicitado à Corte Constitucional que revisasse o ato legislativo que permitiu a reeleição do presidente Uribe em 2006.

O tribunal constitucional afirmou sobre esse pedido que "nessa oportunidade a Corte Constitucional fez uma exaustiva análise, por causa das acusações que tinham sido formuladas, sobre o procedimento legislativo e percebeu que o mesmo estava ajustado à Constituição".

Em 26 de junho, a CSJ condenou a 47 meses de prisão a ex-congressista Yidis Medina, cujo voto salvou em 2005 a reforma constitucional que permitiu a reeleição de Uribe.

Leia mais sobre: Uribe

    Leia tudo sobre: uribe

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG