Bogotá, 17 jan (EFE).- O presidente colombiano, Álvaro Uribe, insistiu hoje em Bogotá que não aceitará a presença de representantes de países vizinhos no comitê que deverá receber os seis reféns que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) prometeram libertar.

Uribe considerou que as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) tentaram "ganhar tempo" em dezembro ao exigir a participação internacional na anunciada libertação de sequestrados.

Os rebeldes disseram no fim do ano passado que uma personalidade democrática de "um país irmão ou da comunidade internacional" deveria fazer parte do comitê que receberá os políticos Alan Jara e Sigifredo López, três policiais e um militar.

Os seis estão no grupo de 28 reféns que os insurgentes pretendem trocar por 500 rebeldes presos, mediante um acordo humanitário negociado com o Governo.

No entanto, Uribe aceitou que o comitê de recepção de reféns conte com alguém que seja designado pela Secretaria de Estado do Vaticano ou pelo próprio papa Bento XVI. EFE jgh/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.