Uribe defende diálogo direto com guerrilhas colombianas

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, pediu o início de um diálogo direto com as guerrilhas de seu país em busca de um acordo de paz, com supervisão internacional, durante uma entrevista coletiva nesta sexta-feira na cidade venezuelana de Punto Fijo.

AFP |

"Tomara que agora possa haver um diálogo direto com os grupos guerrilheiros e se faça a paz. Poderíamos ter uma comissão internacional para verificar os acordos", disse Uribe, ao lado de seu colega e anfitrião, Hugo Chávez.

O presidente colombiano lamentou que os grupos guerrilheiros das Farc e do ELN não tenham aproveitado as oportunidades do passado de negociar a paz. Ao contrário, afirmou Uribe, "a paz foi desfeita entre nossos governos", numa referência aos choques e tensões diplomáticas dos últimos meses com a Venezuela e o Equador.

Além disso, agradeceu a Cuba e Venezuela pelos esforços no sentido de ajudar na busca de um acordo de paz, e evocou o bem-sucedido resgate dos 15 reféns das Farc na semana passada.

"Celebramos Ingrid Betancourt, e o que desejamos agora é poder libertar os outros 27 colombianos (...) e acabar com o crime do seqüestro", disse.

"Achamos que o primeiro dos direitos humanos é a segurança. Lutaremos pela libertação daqueles que continuam em cativeiro", destacou Uribe, que, no entanto, se recusou a comentar o comunicado das Farc divulgado hoje no qual a guerrilha afirma que os reféns "fugiram" por causa da "traição" de seus combatentes.

bl/ap/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG