Uribe dá garantias ao CICV para libertar reféns e propõe apoio do Vaticano

Bogotá, 12 jan (EFE).- O presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, ofereceu hoje garantias ao Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) para receber seis reféns que serão libertados pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e anunciou que aceitará um fiador designado pela Igreja Católica colombiana ou pelo Vaticano para conseguir essa libertação.

EFE |

Uribe fez o anúncio antes de viajar a Washington, onde será condecorado amanhã pelo presidente dos Estados Unidos, George W.

Bush, junto com outras personalidades estrangeiras.

"O Governo dará todas as facilidades para que o Comitê Internacional da Cruz Vermelha possa fazer uma contribuição eficaz", disse o líder, em uma breve declaração aos jornalistas na casa presidencial de Nariño, antes de ir para os EUA.

"Se a Igreja Católica em nível nacional, ou inclusive o Vaticano, a Secretaria de Estado do Vaticano, ou a pessoa ou instituição que designar Sua Santidade (Bento XVI), pode ajudar para que ocorra a libertação dos seqüestrados, o Governo autoriza e dará as boas-vindas", disse.

As Farc anunciaram em 21 de dezembro que libertarão, como gesto unilateral, seis pessoas seqüestradas, entre elas dois políticos, mas ainda não deram detalhes do local ou data.

Para essa libertação, o grupo guerrilheiro escolheu a senadora opositora Piedad Córdoba, que há mais de um ano realizou gestões semelhantes, com o apoio do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, enquanto a parte logística ficará a cargo do CICV. EFE gta/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG