Uribe condena vazamento de vídeo de resgate de Betancourt

BOGOTÁ (Reuters) - O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, condenou na terça-feira o canal de televisão que exibiu o vídeo de preparação e execução do resgate de Ingrid Betancourt, três norte-americanos e 11 policiais e militares colombianos que estavam em poder das Farc. O vídeo foi transmitido na noite de segunda-feira pelo canal local RCN e mostrou detalhes da operação feita em 2 de julho, na qual 15 reféns que estavam em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) foram libertados.

Reuters |

O vídeo evidenciou que um dos militares usou o emblema do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) o tempo todo.

Uribe havia pedido desculpas à Cruz Vermelha, dizendo que o símbolo só foi usado na última hora, devido ao nervosismo do militar diante do perigo oferecido pelas Farc.

O vídeo, que parece ter sido gravado pelo Exército, mostra que o logotipo de uma missão humanitária fictícia foi pintado nos helicópteros. O vídeo também mostra detalhes do pouso na selva e a emoção de Betancourt, dos norte-americanos Keith Stansell, Marc Gonsalves e Thomas Howes e dos colombianos libertos.

'O presidente reitera a necessidade de permitir que todos os meios de comunicação tenham igual acesso às notícias mais importantes', afirmou um comunicado da Presidência.

'É grave que integrantes das Forças Armadas vazem notícias de maneira clandestina e sem coordenação com seus superiores', acrescentou.

O ministro da Defesa, Juan Manuel Santos, também disse que os militares que atuaram como jornalistas na operação utilizaram logotipos do canal de televisão Telesur.

(Por Nelson Bocanegra)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG