Uribe comemora libertação de sargento e agradece ajuda do Brasil

Bogotá, 30 mar (EFE).- O presidente colombiano, Álvaro Uribe, comemorou hoje a libertação do sargento Pablo Emilio Moncayo, que ficou 12 anos em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), e disse que a Colômbia o recebe de braços abertos.

EFE |

Na cidade de Cúcuta, fronteiriça com a Venezuela, Uribe expressou seu "gratidão" ao Governo do Brasil, que forneceu a logística para a libertação do refém, ao CICV e à Igreja Católica.

Além disso, agradeceu o alto comisárrio colombiano para a paz, Frank Pearl, pela "tarefa cumprida", mas não fez referência à senadora opositora Piedad Córdoba, que liderou a missão humanitária e atuou como mediadora perante às Farc.

Uribe reiterou sua condenação ao sequestro e assegurou que a Colômbia "rejeita os sequestradores com firmeza".

Da cidade de Florencia, no departamento de Caquetá (sul), o porta-voz do CICV, Adolfo Beteta, disse que a organização "expressa sua grande satisfação" com o sucesso das missões humanitárias que levaram à libertação de Moncayo e do soldado Josué Daniel Calvo, libertado no domingo passado.

Beteta também agradeceu pelos "esforços conjuntos do Governo e da Polícia da Colômbia, do Governo do Brasil, dos membros da Comissão de Colombianos e Colombianas pela Paz, da Igreja, assim como das Farc".

"Como instituição humanitária, neutra, imparcial e independente, o CICV reitera sua disponibilidade, em qualquer momento, para ajudar na libertação de outras pessoas privadas de liberdade", assim como na entrega do corpo do major da Polícia Julián Ernesto Guevara a sua família, disse Beteta ao ler um comunicado.

As Farc se comprometeram a entregar o cadáver de Guevara, morto em cativeiro em 2006, junto com Moncayo e Calvo, mas até agora a guerrilha não o fez. EFE rrm/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG