Bogotá, 16 jan (EFE).- O presidente colombiano, Álvaro Uribe, anunciou milionárias recompensas para as pessoas que denunciem anteriormente atentados como o ocorrido hoje com um carro-bomba no principal centro comercial da cidade de Neiva (sul), atribuído pelas autoridades às Farc.

Em sua chegada ao aeroporto Benito Salas dessa localidade, acompanhado por seu ministro da Defesa, Juan Manuel Santos, e pela cúpula militar, o líder declarou ter sentido "na própria carne" por causa do atentado, que não causou vítimas, mas sim grandes perdas no centro comercial Los Comuneros e locais vizinhos.

"Vamos forçar essa inteligência preventiva e oferecer recompensas, não somente reativas mas recompensas preventivas", disse Uribe.

Além disso, disse que um conselho de segurança que convocou hoje com as autoridades civis e militares em Neiva servirá para organizar melhor a inteligência preventiva do Exército, da Polícia e do Departamento Administrativo de Segurança (DAS).

"Houve muitas queixas no (departamento de) Huila, eu as recebo constantemente, que há extorsão e que aqueles que não a pagam, vêm estes bandidos da guerrilha para fazer os atentados terroristas", acrescentou.

"O país não pode permitir que estes bandidos nos enganem e que agora venha o discurso político para fazer eco à hipocrisia, à capacidade de farsantes destes bandidos que falam às revistas internacionais de direitos humanos (...) e o que fazem é assassinar camponeses e promover atos terroristas como este", ressaltou.

Sobre o atentado, o prefeito de Neiva, Héctor Aníbal Ramírez, disse que a explosão se registrou no estacionamento do centro comercial e que minutos antes tinham jogado uma granada contra uma empresa de bebidas para distrair as autoridades.

As autoridades ofereceram uma recompensa de 50 milhões de pesos (cerca de US$ 22.400) por informação que permita capturar os responsáveis do ataque. EFE fer/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.