Uribe afirma que renuncia se for comprovado que intercedeu pelo primo

O presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, afirmou na noite de terça-feira que renuncia ao cargo se ficar comprovado que ligou para o ex-presidente da Suprema Corte Suprema de Justiça do país para interceder pelo primo e senador Mario Uribe, detido recentemente por vínculos com grupos paramilitares.

AFP |

"Se provarem que eu liguei para protestar pelas decisões contra Mario Uribe, então eu renuncio à presidência da República", disse em entrevista ao canal RCN.

Uribe ratificou no Congresso uma acusação de injúria e calúnia contra o ex-presidente da Suprema Corte, César Valencia, aprofundando ainda mais o confronto com o principal tribunal de justiça do país.

O duelo entre as autoridades começou no fim de 2007, quando, em uma entrevista, o jurista afirmou que o presidente ligou para fazer perguntas sobre o processo contra o primo, o senador Mario Uribe, investigado por supostos vínculos com paramilitares.

Uribe nega a versão de Valencia e admite uma ligação para conversar sobre a denúncia de que um juiz da Corte tentou subornar um líder paramilitar para que envolvesse o chefe de Estado em um assassinato.

O senador Mario Uribe foi preso na semana passada dentro de uma investigação sobre ligações de políticos e congressistas com membros das hoje desmobilizadas Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC, extrema-direita).

Mais de 30 congressistas, a maioria da coalizão de governo, já foram detidos na investigação.

sab/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG