Uribe afirma que não haverá impunidade em crimes de paramilitares

Bogotá, 14 mai (EFE) - O presidente colombiano, Álvaro Uribe, disse hoje que não haverá impunidade após a extradição de paramilitares aos Estados Unidos, e advertiu os chefes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) de que a Polícia continuará perseguindo o grupo.

EFE |

Ao fazer referência aos 14 ex-comandantes das Autodefesas Unidas da Colômbia (AUC) extraditados na terça-feira, Uribe lembrou, em uma cerimônia de graduação de oficiais da Polícia, que, em um acordo com os Estados Unidos, toda a riqueza ilegal destas pessoas no país irá para um fundo de reparação às vítimas.

Também foi acordado que se facilitará o acesso às provas judiciais exigidas na Colômbia, a fim de chegar a conhecer a verdade dos crimes cometidos pelos paramilitares extraditados.

Segundo o governante, os grupos paramilitares em seu país "surgiram das guerrilhas e da distração do Estado".

"Hoje não há distração do Estado, mas ficam guerrilhas", acrescentou.

"É preciso derrotar essas organizações armadas ilegais totalmente", disse o chefe de Estado colombiano.

Uribe advertiu que junto às Forças Militares, à Polícia, "com o povo colombiano e com a determinação do Governo" se "propiciará a derrota definitiva das guerrilhas que aqui pareciam invencíveis".

Ele pediu que não se permita "focos de paramilitares" e insistiu em que é preciso eliminar "o restante da guerrilha para que possamos viver felizes nesta pátria". EFE rrm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG