Bogotá, 14 dez (EFE).- O presidente colombiano, Álvaro Uribe, afirmou hoje que seu Governo cumpriu todas as exigências das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) para a libertação de dois dos militares que têm em seu poder, um deles com quase 12 anos de cativeiro.

O Governo "cumpriu todas as exigências e reitera a segurança de todas as garantias para a libertação dos sequestrados", disse Uribe na cidade de Medellín, depois de se reunir com familiares dos policiais e militares sequestrados pelas Farc.

Em abril, as Farc anunciaram sua disposição de libertar o cabo Pablo Emilio Moncayo, sequestrado em 21 de dezembro de 1997. Pouco depois, a guerrilha ofereceu entregar também o soldado Josué Daniel Calvo e o corpo do capitão Julián Guevara, morto na selva em 2006 após oito anos de sequestro.

Nos últimos meses, familiares dos reféns e os próprios rebeldes acusaram o Governo colombiano de prejudicar essas libertações prometidas com sua exigência de que as Farc devem libertar todos os militares e policiais que querem trocar por guerrilheiros presos.

O presidente aceitou ajudar nas libertações de Moncayo e Calvo "por consideração" com as famílias dos reféns, mas insistiu em que os insurgentes devem se comprometer a entregar todos os 24 militares e policiais sequestrados, segundo o Governo.

As Farc exigem que a senadora opositora Piedad Córdoba, mediadora em libertações anteriores, participe junto com o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) e a Igreja Católica da missão humanitária que deve receber os reféns e o corpo de Guevara, uma condição que o Governo aceita. EFE mb/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.