Uribe abre cúpula de presidentes do judiciário da Unasul

Cartagena (Colômbia), 27 ago (EFE).- O presidente colombiano, Álvaro Uribe, abriu hoje a 4ª Cúpula de Presidentes de Poderes Judiciários da União de Nações Sul-americanas (Unasul) e ressaltou que a extradição é um instrumento de cooperação eficaz para a luta contra o crime transnacional.

EFE |

O líder afirmou que o país precisa da extradição para impulsionar uma luta frontal contra a criminalidade.

"A extradição não cria impunidade aos crimes de lesa-humanidade.

Pensar que a extradição favorece o avanço da impunidade pode criar um incentivo perverso, o traficante de drogas pode se sentir convidado a incorrer em crimes de lesa-humanidade para assim evitar a extradição", afirmou Uribe.

Os representantes dos poderes judiciários dos 13 países da Unasul se reúnem de hoje e até 29 de agosto em Cartagena das Indias, norte, para analisar assuntos como cooperação em temas de extradição e processos transnacionais.

O chefe do Estado colombiano acrescentou que a extradição também não pode ser denunciada como um elemento que afeta a reparação das vítimas e disse que esse fator ajudou que na Colômbia avançassem temas como a ocupação de propriedades do narcotráfico e dos paramilitares.

Os presidentes do Poder Judiciário da Unasul também terão em sua agenda o tema da "Justiça e globalização: Instrumentos internos e externos de supervisão e controle (direitos humanos)" com relatórios de Venezuela, Equador, Paraguai e Bolívia.

As conferências de Cuba, Uruguai e Brasil abordarão o assunto de "Democracia e Independência Judiciária". EFE ric/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG