O vice-presidente da Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH), Karim Lahidji, afirmou neste domingo, em Paris, que mais de 2.000 pessoas haviam sido detidas no Irã e que o país também registra centenas de desaparecidos.

lpt/arz/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.