Um juiz militar de Guantánamo negou-se nesta quinta-feira a suspender, como pedia a acusação e havia sido solicitado pelo presidente Barack Obama, o julgamento de um saudita acusado de estar envolvido no atentado do USS Cole, que causou 17 mortos em 2000.

lum/chl/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.