O Governo argentino apelará ante a Corte Suprema de Justiça da decisão de libertar o ex-capitão de guerra Alfredo Astiz e outros oficiais, acusados de genocídio durante a ditadura (1976-1983), anunciou o secretário de Direitos Humanos, Eduardo Duhalde.

dm/rpl/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.