Líderes de agricultores argentinos convocaram nesta sexta-feira uma nova greve de sete dias, durante os quais não venderão cereais, sementes ou gado, em um endurecimento das exigências pela eliminação ou redução dos impostos sobre as exportações de soja, principal cultivo do país, criados pela presidente Cristina Kirchner.

lt/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.