Único ministro nacionalista do Governo regional de Flandres anuncia renúncia

Bruxelas, 22 set (EFE).- O único ministro nacionalista a integrar o Governo regional de Flandres, Geert Bourgeois, anunciou hoje sua renúncia e o fim da aliança de seu partido, o Nova Aliança Flamenga (N-VA), com o Partido Democrata-Cristão e Flamengo (CD&V), do primeiro-ministro da Bélgica, Yves Leterme.

EFE |

A renúncia de Bourgeois foi exigida pelo Partido dos Liberais e Democratas Flamengos (VLD) e pelo Partido da Alternativa Social Progressista (SPA), os outros dois principais membros no Governo de Flandres, depois que o N-VA não quis participar em nível nacional da futura negociação com os partidos francófonos para a reforma do Estado.

A ruptura da aliança no Executivo flamengo entre os nacionalistas e o CD&V representa um revés político para Leterme, que ganhou as eleições gerais de 2007 em uma coalizão eleitoral com o N-VA, um pequeno partido que luta para transformar Flandres, no norte da Bélgica, em uma república independente.

A decisão do N-VA de abandonar o Governo flamengo segue o anúncio feito ontem de que a legenda não apoiará mais o Executivo de Leterme.

Em teoria, nenhuma destas retiradas do N-VA dos dois Governos (federal e regional) deve resultar na queda dos Executivos belga e flamengo, mas enfraquece Leterme e seu partido, segundo todos os analistas.

Bourgeois era ministro regional de Gestão Pública, Relações Exteriores, Meios de Comunicação e Turismo desde a constituição do Governo flamengo, em julho de 2004.

Segundo o chefe do Executivo de Flandres, Kris Peeters, do CD&V, ele mesmo assumirá a pasta deixada por Bourgeois, já que o ministro demissionário não será substituído.

Sua posição dentro do Governo flamengo tinha se tornado insustentável após os principais membros do Executivo - CD&V, VLD e SPA - acolherem positivamente as propostas da negociação nacional sobre a reforma do Estado. EFE jms/wr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG