Unicef exige acesso de ajuda humanitária aos civis no Sri Lanka

Nações Unidas, 17 mar (EFE).- A diretora do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Ann Veneman, exigiu que o Exército do Sri Lanka e os guerrilheiros dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE) permitam o acesso de ajuda humanitária aos civis que têm sido vítimas da violência na região.

EFE |

Em nota, ela disse que muitas "crianças e suas famílias na zona do conflito correm o risco de morrer de desnutrição ou por doenças".

"As agências humanitárias precisam urgentemente de um acesso seguro para poder entregar mantimentos indispensáveis. Também é preciso permitir que os civis se desloquem a partes mais seguras, onde é mais fácil receberem cuidados", afirmou.

Veneman lembrou que centenas de crianças perderam a vida e as outras muitas que estão feridas estão em situação de risco por não terem alimentos, água e remédios.

Ela pediu ainda às partes em conflito que "respeitem os direitos da população infantil e adotem todas as medidas necessárias para evitar a morte de civis".

"As crianças são as vítimas inocentes do confronto armado, e por isso devemos adotar todas as medidas necessárias para protegê-las", alertou.

O Exército do Sri Lanka intensificou desde o início do ano sua ofensiva contra os guerrilheiros, que perderam boa parte do território que controlavam.

Segundo versões oficiais, os combates entre Exército e guerrilha estão na "fase final". Os rebeldes só teriam um território de 45 quilômetros no distrito de Mullaitivu, norte do país.

A guerrilha acusa as tropas pela morte de civis durante as ofensivas militares, enquanto o Governo cingalês assegura que os rebeldes usam a população civil como "escudos". EFE jju/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG