Unicef diz que situação no Haiti é mais grave do que se imagina

Gonaives (Haiti), 10 set (EFE).- O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) disse hoje que o drama que a população da cidade haitiana de Gonaives vive desde a passagem de dois furacões e duas tempestades tropicais é apenas a ponta do iceberg, pois praticamente todo o país está em situação de emergência.

EFE |

Segundo Jasmine Pittenger, porta-voz da organização, "Gonaives se tornou uma cidade emblemática porque é possível chegar a ela, embora não seja a localidade mais afetada".

"Há outros locais nos quais a situação é pior", acrescentou Pittenger à Agência Efe.

A porta-voz do Unicef explicou que uma das principais preocupações das entidades humanitárias é chegar aos pontos isolados.

"Achamos que praticamente todo o país foi atingido. A questão é como chegar aos outros lugares", já muitas estradas permanecem inundadas.

Em Gonaives, "a situação parece mais grave ainda". "Cada vez chega mais gente, mais do que o esperado, para a distribuição de água e comida", disse a funcionária.

Nesta situação de emergência, as crianças são a grande prioridade das organizações de ajuda, sobretudo do Unicef, que calcula em 300 mil o número de menores prejudicados pela catástrofe no país.

"A ingestão de água contaminada é a primeira causa de morte infantil nestes casos", disse Pittenger, que se mostrou preocupada com a falta de condições higiênicas adequadas "nos abrigos, onde muita gente se amontoa em pouco espaço".

Quatro dias depois da passagem do furacão "Ike", grande parte da cidade permanece inundada, e nos lugares onde a água começou a descer há muita lama, também fonte de problemas de saúde.

Em Gonaives, o Unicef trabalha distribuindo água, com o objetivo de atenuar ao máximo problemas desse tipo.

"Mas tudo o que fazemos é pouco. Estamos tentando chegar a todos, mas é muito difícil", disse a porta-voz. EFE jsm/rb/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG