Unicef alerta sobre crianças sozinhas e não identificadas no Haiti

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef, na sigla em inglês) fez um alerta nesta segunda-feira sobre a situação de muitas crianças sobreviventes do terremoto no Haiti, cuja identificação é difícil pela falta de dados ou de familiares.

iG São Paulo |

Por meio de um comunicado emitido em Porto Príncipe, membros do Unicef relatam o caso de uma menina de 2 anos e uma criança de 7 que estão em um dos hospitais da missão de paz da ONU (Minustah) sem ferimentos graves, mas que não têm para onde ir.

A menina sofre de paralisia cerebral e chegou ao hospital desidratada e em estado de choque.

"Ela está na maca, chorando e sozinha, não tem ferimentos graves e poderia ir para casa, mas ninguém sabe como se chama nem por onde começar a procurar sua família. Só tem um papel a seus pés que diz 'menina'", contam os membros do Unicef.

No mesmo hospital está Sean, de 7 anos, que chegou gritando ao hospital com poucos arranhões e ficou 12 horas em posição fetal.

Segundo o Unicef, as enfermeiras disseram que o garoto contou que seus pais estão mortos.

Os médicos não querem dar alta sem saber quem tomará conta deles, diz a organização humanitária, que está tentando montar dois refúgios para crianças como Sean e a "menina", nos quais possam ser atendidas enquanto suas famílias são procuradas.

O Unicef destaca que pode haver centenas, possivelmente milhares, de crianças na mesma situação em Porto Príncipe, vagando pelas ruas ou nos hospitais, sem água, sem comida e sem proteção contra violência e abuso.

O terremoto de 7 graus na escala Richter ocorreu às 19h53 (horário de Brasília) do dia 12 e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe.

*Com informações da EFE

Veja também:

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: haititerremototerremoto no haiti

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG