Unicef acusa milícia de destruir ajuda humanitária na Somália

Nairóbi, 21 mai (EFE).- O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) denunciou hoje o saque e a destruição dos remédios e ajuda humanitária armazenados em Jowhar, 90 quilômetros ao norte de Mogadíscio, por parte da milícia radical islâmica Al-Shabab, que ocupou a localidade há quatro dias.

EFE |

Um comunicado divulgado em Nairóbi e assinado por Christian Balsley-Olesen, representante do Unicef para a Somália, destaca o "impacto negativo para mulheres e crianças" da ação do Al-Shabab em Jowhar, onde o grupo destruiu as instalações do Fundo "e arrasou o equipamento e as provisões destinados à ajuda humanitária".

Os milicianos do Al-Shabab, vinculados pelos Estados Unidos com a Al Qaeda e que lutam para derrubar o Governo de Sheikh Sharif Sheikh, apoiado pela comunidade internacional, "destruíram as vacinas contra a pólio e outras doenças e levaram os alimentos destinados à população infantil", acusa a nota.

Balsley-Olesen ressalta que esta perda terá um "tremendo impacto nos programas do Unicef em Jowhar, que, até agora, era o centro de distribuições de ajuda humanitária para as localidades do sul e do centro da Somália".

Segundo ele, "a destruição e o saque das provisões colocará em risco a vida de crianças vulneráveis e de suas comunidades".

"Mais de 50 mil menores com desnutrição severa e outros 85 mil com desnutrição moderada serão afetados pela ação do Al-Shabab, que impedirá o início da segunda fase de uma campanha de saúde que pretendia alcançar mais de 1,2 milhão de crianças com menos de cinco anos e 840 mil mulheres", diz o texto. EFE pa/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG