Única democrata candidata americana morre aos 75 anos

Geraldine Ferraro foi candidata à vice-presidência de Walter Mondale nas eleições presidenciais de 1984, que reelegeu Ronald Regan

EFE |

AP
A democrata Geraldine Ferraro
Geraldine Ferraro, que marcou a história dos Estados Unidos por ser a única mulher democrata que se candidatou à vice-presidência do país, morreu neste sábado aos 75 anos. Segundo anunciou a imprensa americana, uma amiga da família informou que Ferraro sofria um câncer desde 1998 e faleceu no Hospital Geral de Massachusetts. A causa da morte foram as complicações do mieloma múltiplo, informou o Político em sua edição digital.

Ferraro foi a companheira de Walter Mondale nas eleições presidenciais de 1984, nas quais Ronald Reagan foi reeleito, que ganhou 49 dos 50 estados. "Durante duas décadas, os candidatos que se apresentaram para presidentes dos principais partidos nunca perguntaram a uma mulher para acompanhá-los na candidatura até Walter Mondale", disse então Ferraro. "Minha candidatura demonstrou que os dias da discriminação estão contados. As mulheres americanas não voltarão a ser cidadãos de segunda classe nunca mais", assegurou.

A política democrata foi escolhida em 1978 membro da Câmara de Representantes por Nova York, posteriormente aspirou sem sucesso à candidatura a senadora por Nova York, e em 1993, o então presidente Bill Clinton, a nomeou embaixadora dos Estados Unidos perante a Comissão de Direitos Humanos da ONU.

Nascida em 1936 em Newburg, Nova York, filha de emigrantes italianos pobres, ficou órfã aos oito anos quando seu pai, Domenico Ferraro, morreu de ataque cardíaco

    Leia tudo sobre: euamortegeraldine ferraro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG