Após reformas políticas no país, bloco europeu decide suspender a proibição contra o presidente, os vices e os membros de gabinete

Aung San Suu Kyi ganha flores de partidários depois de se registrar na Comissão Eleitoral em Yangun, Mianmar (18/1)
AP
Aung San Suu Kyi ganha flores de partidários depois de se registrar na Comissão Eleitoral em Yangun, Mianmar (18/1)
Os ministros das Relações Exteriores europeus concordaram nesta segunda-feira em suspender a proibição dos vistos para os líderes de Mianmar, incluindo o presidente e os membros do gabinete.

Leia também: Suu Kyi registra histórica candidatura para vaga no Parlamento

Os ministros europeus se encontraram em Bruxelas e disseram que a medida decorria de um "memorável programa de reforma política" realizado por Mianmar. Em comunicado, a União Europeia afirmou que conforme o país concretizasse mais reformas, o bloco flexibilizaria as sanções.

Mianmar está prestes a realizar uma eleição em abril, na qual concorrerá, pela primeira vez, a líder do partido de oposição , Aung San Suu Kyi. As reformas em no país asiático tem ocorrido gradaticamente nos últimos meses. Neste mês, o governo libertou uma série de dissidentes políticos da prisão em anistia.

Dentre os libertados estavam veteranos do movimento estudantil de 1988, monges que participaram de manifestações em 2007 e ativistas de minorias étnicas.

O governo civil, apoiado pelos militares, assumiu o poder em novembro de 2010, depois das primeiras eleições no país em 20 anos. Antes disso, o país esteve nas mãos de uma junta militar. O novo governo também libertou Suu Kyi e começou a travar um diálogo com o seu partido, o Liga Nacional para Democracia.

O comunicado da União Europeia diz que a proibição dos vistos seria suspensa para o presidente birmanês, Thein Sein, os vice-presidentes, membros do gabinete e presidentes do Parlamento. "O Conselho recebe o memorável programa de reforma política empreendido pelo governo e pelo parlamento."

O documento acrescenta que o processo de reformas já levou ao país melhorar suas relações com a União Europeia e se tais medidas continuarem, as restrições poderiam ser flexibilizadas até o fim de abril.

"Essas mudanças estão abrindo importantes novos prospectos para o desenvolvimento da relação entre a União Europeia e Mianmar."

Os EUA também começaram o processo de descongelamento das relações diplomáticas dizendo que começará o processo de troca de embaixadores com Mianmar . Embora as nações do ocidente tenham recebido bem as reformas políticas birmanesas, também pedem que o governo liberte os prisioneiros políticos e resolva conflitos étnicos nas fronteiras.

Com AP e BBC

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.