União Européia inicia estratégia para combater doenças raras

Bruxelas, 11 nov (EFE).- A Comissão Européia (CE) aprovou hoje uma proposta para levar a todo o continente medidas de combate às doenças raras, que afetam cerca de 36 milhões de cidadãos.

EFE |

O objetivo é aumentar a visibilidade deste tipo de males e apoiar os Estados-membros nos planos para combatê-los. As informações foram dadas pela comissária européia de Saúde, Androulla Vassiliou, em entrevista coletiva.

"Queremos tirar os pacientes com doenças raras das sombras.

Muitos deles passam por anos de incerteza até receberem diagnósticos e tratamentos corretos", explicou Vassiliou.

Segundo a comissária, um dos principais problemas é a falta de contato entre especialistas e pesquisadores de doenças raras dentro da Europa.

"Esta é uma medida em que o valor agregado de trabalhar juntos em escala européia é claro e concreto, além de poder fazer a diferença entre a marginalização e o tratamento adequado para milhões de pessoas na Europa", comentou Vassiliou.

A estratégia traçada por Bruxelas tem três grandes pilares como base: melhorar o conhecimento e visibilidade das doenças, apoiar os planos nacionais e reforçar a cooperação e a coordenação pelo continente.

As doenças raras, estimadas em entre 5.000 e 8.000, afetam menos de 5 pessoas em cada 10.000 e costumam ser de origem genética, lembrou a Comissão Européia em comunicado. EFE mvs/dp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG