União Africana suspende Madagascar e não reconhece Governo golpista

Adis-Abeba, 20 mar (EFE).- O Conselho de Paz e Segurança da União Africana (UA) decidiu hoje suspender Madagascar dentro da organização, ao considerar que se impôs no país um Governo inconstitucional com apoio militar em um golpe de Estado.

EFE |

"O Conselho decidiu separar Madagascar porque tem um Governo instalado de modo inconstitucional", disse hoje aos jornalistas Bruno Zidouemba, presidente interino desse órgão, após terminar sua reunião em Adis-Abeba para tratar o caso.

"Embora o caso de Madagascar não fosse uma tomada direta do poder pelos militares, não foi constitucional", disse Zidouemba, para quem a autoproclamação de Andry Rajoelina como chefe do Governo, após derrubar na terça-feira o presidente Marc Ravalomana, pode ser considerada "um golpe de Estado". EFE mc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG