União Africana elege Kadafi como presidente para 2009

Adis-Abeba, 2 fev (EFE).- O presidente da Líbia, Muammar Kadafi, foi eleito hoje para a Presidência da União Africana (UA) neste ano, durante a Cúpula da organização que vai até amanhã em Adis-Abeba, onde os conflitos que afetam o continente tomaram o lugar da discussão prevista sobre o desenvolvimento da infraestrutura.

EFE |

A eleição de Kadafi aconteceu em uma votação secreta durante a 12ª Sessão Ordinária da Assembleia da UA, depois que sua indicação foi anunciada pelo até hoje presidente do órgão, o chefe de Estado da Tanzânia, Jakaya Kikwete.

Cerca de 20 governantes africanos, reunidos ontem a portas fechadas em uma sessão inaugural da Cúpula, decidiram a eleição do coronel Kadafi, que nos últimos anos foi o principal defensor da criação de um grupo de "Estados Unidos da África", com um Governo comum baseado no modelo da União Europeia.

Após o anúncio de sua eleição, Kadafi, que dedicou uma grande quantidade de verba da Líbia à integração africana, disse que insistirá nos Estados Unidos da África, para os quais prevê Exército, moeda e passaporte comuns, além de um Governo integrado.

O governante líbio, que chegou ao poder em seu país em um golpe de estado militar em 1969, admitiu que, em lugar da integração imediata se faça um avanço progressivo.

Ontem, a Cúpula da UA adiou a criação dos "Estados Unidos da África" e os governantes africanos reunidos na capital etíope decidiram avançar de modo gradual em direção a esse objetivo, com a transformação da Comissão da organização em uma Autoridade Continental com maiores competências.

Os "Estados Unidos da África", que Kadafi tenta promover, já foram postos como objetivo em 1963, por ocasião da criação da Organização de Unidade Africana (OUA).

Por sua vez, Kikwete agradeceu hoje à Cúpula o apoio que recebeu em 2008 e manifestou que espera que "se dê o mesmo respaldo a Kadafi".

A Presidência da União Africana é um cargo rotativo e os governantes do continente elegem a cada ano um deles para ocupá-lo.

Na reunião de hoje estavam o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-Moon, e também o secretário da Liga Árabe, Amre Moussa, que tratarão com os governantes africanos dos conflitos que afetam o continente e da situação na Faixa de Gaza.

Os conflitos de Congo, Sudão e Somália, a crise e a epidemia de cólera no Zimbábue e os golpes de Estado na Mauritânia e na Guiné, além dos distúrbios em Madagascar e do conflito armado em Gaza serão as questões que concentrarão as discussões da Cúpula.

O próprio Ban Ki-Moon reiterou hoje à Cúpula sua posição de que as vítimas civis são "inaceitáveis" em qualquer circunstância, referindo-se aos ataques israelenses em Gaza, questão sobre a qual também insistiu Moussa.

Na sexta-feira, a UA condenou a "agressão de Israel" a Gaza -sem citar os ataques anteriores do Hamas ao território israelense- e defendeu "o direito dos palestinos de ter seu próprio Estado com Jerusalém como capital".

A UA advertiu também de sua intenção de impor sanções aos regimes golpistas que não retornem ao caminho constitucional, em relação com os casos da Mauritânia e da Guiné e à oposição de Madagascar que "não saia da legalidade".

No caso do Zimbábue, pediu à comunidade internacional, concretamente aos EUA e à União Europeia, que retirem as sanções impostas ao Governo de Robert Mugabe, por ter se comprometido a formar, na próxima semana, um Governo de união nacional na próxima semana -compromisso que, no entanto, já foi rompido no ano passado.

Por outro lado, assinalou que espera que a eleição de Sharif Sheikh Ahmed como novo presidente da Somália leve ao país "a reconciliação, paz e estabilidade".

Um tema espinhoso na reunião é o conflito de Darfur, no Sudão, e o pedido da Procuradoria do Tribunal Penal Internacional de uma ordem de detenção contra o presidente sudanês, Omar Hassan Ahmad al-Bashir, por crimes de guerra e contra a humanidade, ao qual se opõem boa parte dos líderes africanos. EFE mc/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG