União Africana discute meios de resolver assuntos internos

TRÍPOLI - Vários chefes de Estado e de governo se reuniram nesta segunda-feira em Trípoli, na Líbia, em uma sessão especial da União Africana (UA), com o objetivo de examinar os meios para resolver os conflitos internos que afetam seus respectivos países.

Redação com agências internacionais |

A reunião, convocada por iniciativa do líder líbio, Muammar Kadafi, é marcada pela ausência do presidente egípcio, Hosni Mubarak; do presidente da Tunísia, Zine al-Abidine Ben Ali; do nigeriano, Umaru Yar'Adua, e do sul-africano, Jacob Zuma.

Ao começar a reunião, Kadafi, presidente em exercício da UA, atacou o Estado de Israel, ao qual acusou de ser responsável por todos os conflitos da África, mas sem argumentar sua posição.

"Israel está por trás de todos os conflitos da África. Todas as embaixadas de Israel abertas em nosso continente deveriam ser fechadas", acrescentou.

Os trabalhos da reunião se concentram em três zonas em conflito: Darfur, Somália e a região dos Grandes Lagos.

Os participantes analisaram os esforços que estão sendo feitos para o restabelecimento da paz e da segurança, principalmente na África Subsaariana.

Os chefes de Estado e de governo africanos discutiram também a criação de um marco institucional "sólido e eficaz" para consolidar a paz e a segurança na África.

Os líderes abordaram também as diversas situações de crise nos países africanos e examinaram os meios de garantir o início efetivo das decisões adotadas pelos organismos políticos da UA para fazer frente a estes temas.

A sessão terminará com uma declaração final e uma série de recomendações sobre os conflitos atuais.

Leia mais sobre União Africana

    Leia tudo sobre: união africana

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG