União Africana adverte: julgamento de Bashir pode causar anarquia no Sudão

A presidência da União Africana advertiu hoje que poderão se seguir golpes militares e anarquia no Sudão se a Corte Penal Internacional (CPI) julgar o presidente Omar al-Bashir.

AFP |

O presidente sudanês Omar al-Bashir, contra quem o procurador da Corte Penal Internacional (CPI) exigiu nesta segunda-feira um mandado de prisão por genocídio e crimes contra a humanidade cometidos em Darfur, é o terceiro presidente em exercício julgado pela justiça internacional.

"Se al-Bashir for considerado culpado e detido, ficará um vazio de poder no Sudão com o risco de golpes militares e anarquia generalizada de forma semelhante ao ocorrido no Iraque", declarou à AFP o ministro de Relações Exteriores da Tanzânia, Bernard Membe, em nome do presidente Jakaya Kikwete, que preside a UA.

"Nós, na União Africana, não aprovamos a impunidade, o genocídio e a violência porque acreditamos na força da lei. Mas pedimos um adiamento da acusação de Bachir porque existe um risco de anarquia em proporções jamais vistas neste continente", acrescentou.

jku/jo/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG