Unasul e México avaliam compra conjunta de vacinas contra gripe

Santiago do Chile, 31 jul (EFE).- Os ministros da Saúde da União de Nações Sul-americanas (Unasul) e do México se reunirão no próximo dia 8 de agosto em Quito para acordar estratégias de compra coordenada de vacinas, antivirais e equipamentos de diagnóstico da gripe suína.

EFE |

O encontro será a primeira ação conjunta do Conselho Sul-americano de Saúde, que foi constituído em Santiago do Chile em abril passado como instituição de consulta e consenso no tema para os países da organização.

"A ideia é assegurar que os processos de negociação de compra de vacinas signifiquem um acesso equitativo a todos o países da região, e para isso a melhor maneira é negociar em conjunto", disse em coletiva de imprensa a subsecretária de Saúde Pública do Chile, Jeanette Vega.

A presidente chilena, Michelle Bachelet, ofereceu perante a Cúpula do Mercosul, realizada na semana passada em Assunção, a colaboração científica na luta contra a epidemia da gripe, que castiga a região com centenas de mortes em vários países.

Após a reunião ontem em São Paulo entre Bachelet e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Governo chileno anunciou hoje que o encontro ministerial será realizado dentro da Cúpula da Unasul, cuja Presidência temporária passará do Chile para o Equador.

Delegações de México, Paraguai e Alemanha se reuniram hoje com as autoridades de saúde chilenas para discutir os mecanismos de prevenção e contenção da epidemia da gripe utilizados no Chile, onde se estima que 5% da população foi afetada pela doença.

Segundo a representante do Instituto Mexicano de Seguro Social, Margot González, a eventual compra coletiva aconteceria sem afetar as políticas internas de cada país.

"Se a possibilidade de comprar em conjunto significa para o Chile que podemos comprar nos prazos que necessitamos, e apoiar os demais países que pudessem se beneficiar, compraremos juntos", afirmou Vega, que estimou em seis milhões as doses necessárias para seu país.

O Conselho Sul-Americano de Saúde foi aprovado em dezembro na cúpula extraordinária da Unasul realizada na Costa do Sauípe, com a missão de evitar a transmissão de epidemias e promover a extensão da saúde na região, onde quase a metade da população carece de acesso a esse serviço básico.

O número de mortes relacionadas à gripe no Chile, o país mais afetado da América do Sul depois da Argentina, chega a 96, enquanto o de casos atinge 11.860, segundo o Ministério da Saúde chileno.

No México, as vítimas são 142, enquanto os casos beiram 15.900, segundo a Secretaria de Saúde local.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE rt/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG