Unasul discute presença dos EUA na Colômbia; assista

BARILOCHE - Começou na manhã desta sexta-feira a cúpula da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) que tenta solucionar as disputas políticas trazidas à tona com o anúncio sobre o acordo militar entre Colômbia e Estados Unidos. Em seu discurso de abertura, o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, afirmou que o acordo não implica perda de soberania colombiana ou da América do Sul.

Redação com agências internacionais |

A presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, abriu o encontro, na qualidade de anfitriã. As deliberações foram precedidas por uma série de reuniões bilaterais destinadas a minimizar o clima de tensão que marcou os preparativos da cúpula.

Os 12 líderes de Argentina, Brasil, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Colômbia, Equador, Peru, Chile, Guiana, Suriname e Venezuela já se encontram no hotel Llao Llao, em Bariloche, e para discurtir, principalmente, a questão da instalação de tropas norte-americanas em território colombiano.

Assista abaixo à reunião (áudio em espanhol):

Divergências sobre transmissão

Antes de começar a discussão sobre a instalação de bases militares norte-americanas na Colômbia, os presidentes decidiram como seria a transmissão do debate, assunto que opõe Colômbia e Venezuela.

O presidente colombiano, Álvaro Uribe, queria que a emissora oficial de TV da Argentina (Canal 7), responsável pela distribuição das imagens do encontro, transmitisse toda a reunião para "não haver manipulação da informação".

Já Hugo Chávez, da Venezuela, defendia a distribuição de imagens e áudio posterior à reunião e editada. Os 12 presidentes decidiram pela transmissão ao vivo.

Cúpula focada em acordo militar

A União de Nações Sul-americanas (Unasul) realiza nesta sexta-feira uma reunião especial para discutir o acordo militar entre Colômbia e Estados Unidos, motivo de divergência na região e responsável por impedir um pronunciamento conjunto na cúpula passada.

O acordo para que os EUA utilizem até sete bases colombianas foi recebido com respeito, mas também com preocupação por Brasil, Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai, foi apoiado pelo Peru e enfrenta oposição firme de Venezuela, Equador e Bolívia.

Será a segunda reunião de chefes de Estado já feita em Bariloche, principal centro turístico de inverno na Argentina, 1.650 quilômetros ao sul de Buenos Aires, que já havia recebido a Cúpula Ibero-Americana de 1995.

A Unasul substituiu, em março de 2008, a Comunidade Sul-Americana de Nações (CSN), criada em 8 de dezembro de 2004 no Peru por todos os países da América do Sul.

* Com EFE, Reuters e informações da Agência Estado

Leia mais sobre Unasul

    Leia tudo sobre: unasul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG