Uma policial que pertencia à Agência Federal de Investigações (AFI) participou semana passada do seqüestro de um empresário e o filho dele no estado mexicano de Nuevo León (norte), informou nesta segunda-feira a procuradoria de Justiça do estado.

"O trabalho da inteligência realizado pelos membros desta instituição, mais a denúncia oportuna das pessoas que foram prejudicadas no caso, desmascarou a mulher", disse Luis Carlos Treviño, procurador de Justiça.

Sonia Virginia Bastida Morales, de 38 anos, conhecida como "La Comandante", era agente da AFI quando se envolveu em 21 de agosto no seqüestro dos dois empresários, pai e filho, dedicados à venda de madeira.

O México está comovido pelo seqüestro e o assassinato do adolescente, filho de um rico empresário, também cometido por policiais, o que derivou numa cúpula nacional contra a insegurança e a convocação de uma passeata de protesto contra a violência para dia 30 de agosto.

A cumplicidade da mulher no seqüestro dos empresários em Nuevo León foi descoberta por uma denúncia anônima que desembocou numa investigação, contou Treviño.

Com ela, foram detidos outros dois cúmplices, um deles trabalhou anos atrás na procuradoria Geral da República (PGR) e tem antecedentes criminais. O outro trabalhava havia pouco tempo numa empresa de segurança privada.

Os seqüestradores exigiram resgate de três milhões de pesos (cerca de 292.000 dólares).

str/lp/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.