Uma das supernovas mais famosas da história é do tipo comum, diz estudo

Londres, 3 dez (EFE).- Uma das supernovas mais famosas da história da astronomia, a SN1572, identificada há mais de 400 anos, é do tipo comum Ia, que desempenha um papel fundamental de indicador da distância cosmológica.

EFE |

Em artigo publicado hoje pela revista científica britânica "Nature", os pesquisadores do Instituto de Astronomia Max Planck, de Heidelberg, na Alemanha, explicam que as supernovas Ia são explosões termonucleares de estrelas anãs brancas.

Resultado da explosão de uma estrela bem antiga, a supernova é uma estrela que passa repentinamente a brilhar muito intensamente e depois começa lentamente a perder esse brilho.

Em algumas ocasiões são difíceis de distinguir caso o pó que delas se desprende não deixe seu brilho aparecer.

Sua aparição é pouco freqüente, com só algumas poucas por galáxia a cada 100 anos, mas podem ser vistas de galáxias distantes devido a sua intensa luminosidade.

Em 1572, Tycho Braer, um astrônomo dinamarquês, observou uma "nova estrela" brilhante que apareceu na constelação Casiopea e concluiu que devia estar situada muito mais longe que a Lua.

Sua descoberta contribuiu, em parte, ao abandono da teoria que concebia a Terra como centro do universo e os planetas e estrelas como corpos fixos que orbitavam ao redor dela.

A equipe pesquisadora alemã, liderada por Oliver Krause, indicou quatro séculos depois que esse corpo brilhante, a supernova SN 1572, pertence ao tipo Ia após descobrir que seu espectro óptico se aproximava do máximo brilho.

Os cientistas analisaram um eco de luz disperso mais de 400 anos depois que a luminosidade direta da explosão chegasse à Terra. EFE vmg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG