Um padre italiano morto no Quênia

Um padre italiano, de 82 anos, foi encontrado morto na sexta-feira, com as mãos e os pés atados, em um escritório em Nairóbi, anunciaram a polícia e testemunhas à AFP.

AFP |

Dois suspeitos foram vistos fugindo da cena do crime e uma mulher foi detida por envolvimento na morte do padre Giuseppe Bertaina que trabalhava no Consolata Institute of Philosophy.

"Nós o encontramos morto no chão, com as mãos e os pés amarrados, e com papel enfiado na boca", declarou o pai Hipoliti Marandu, reitor desta instituição, que disse ter falado com a vítima uns 15 minutos antes do crime.

"Saí do colégio e quando voltei fui direto ao escritório dele para conversar um pouco. Instantes mais tarde, ouvi gritos nos arredores", acrescentou.

"Vi pessoas correndo atrás de uma mulher e dois homens fugiam da sala do padre", contou.

Um porta-voz da polícia queniana, Eric Kiraithe, declarou que o interrogatório da mulher detida por policiais estava em andamento.

"É estranho que três pessoas possam entrar aqui e matar um padre desse jeito", acrescentou.

Contou que a vítima estava no Quênia havia 50 anos, antes da independência nacional, e foi um dos primeiros missionários no país.

"Ele chegou ao Quênia no fim dos anos 50 depois de ter concluído os estudos na África do Sul. Ajudou inúmeros pobres e fundou esta instituição", continuou.

str-jmm/LM

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG