Um israelense judeu integrará Conselho Revolucionário do Fatah

Ramala, 16 ago (EFE).- O professor universitário Uri Davis será o primeiro judeu israelense a integrar o Conselho Revolucionário do movimento palestino Fatah, após sua eleição no Sexto Congresso da legenda realizado na cidade cisjordaniana de Belém.

EFE |

O porta-voz da conferência, Fawzi Salama, anunciou ontem à noite a escolha de Davis para o maior órgão de decisão, após concluir a apuração dos votos emitidos pelos mais de 2.250 delegados que participaram do congresso, encerrado na quinta-feira passada.

Uri Davis, professor de estudos sobre o Judaísmo na Universidade palestina Al Quds e de estudos sobre a paz em Bradford (Reino Unido), explicou à Efe que se sente muito "honrado" e "consciente da responsabilidade" que representa seu novo papel.

Veterano ativista anti-sionista, Davis obteve o número 31 dos 81 novos membros do Conselho Revolucionário, que tem um total de 120 assentos.

O acadêmico, que rejeita que o chamem de "israelense judeu" para se autodefinir como "palestino hebraico", considera Israel um "Estado de apartheid" e o sionismo uma ideologia "racista".

Davis, militante no Fatah há um quarto de século, explica o momento débil que atravessa seu movimento pela "ausência de uma ideia clara de futuro" e por ter "vendido os Acordos de Oslo de 1993 como uma vitória, quando se tratava de um enganação".

Sua eleição foi recebida ontem à noite com um sonoro aplauso na sede do Congresso, que foi ampliado para nove dias, frente aos três inicialmente previstos, por causa de diferenças entre os delegados.

Entre os 81 novos membros do Conselho, confirmados também ontem à noite pelo presidente palestino e líder do movimento, Mahmoud Abbas, há 11 mulheres e quatro representantes da minoria cristã. EFE nm-ap/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG