Pattaya (Tailândia) 12 abr (EFE).- A Polícia tailandesa deteve hoje o principal líder dos manifestantes que na véspera atacaram a sede da cúpula asiática, que o Governo do primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva cancelou por motivos de segurança.

O general da Polícia nacional, Supon Pansua, anunciou em entrevista coletiva a detenção de Arisman Poongruengrong, que esteve à frente dos cerca de 300 manifestantes que irromperam pela força no recinto que abrigava a conferência.

Umas horas antes, o primeiro-ministro tailandês anunciou que a Justiça tinha emitido ordens de detenção contra os líderes do protesto antigovernamental que forçou o cancelamento da cúpula asiática.

Vejajiva disse que as detenções dos responsáveis pelo ataque ao hotel de Pattaya que abrigava a sede da cúpula anual da Associação de Nações do Sudeste Asiático (Asean) será praticada pela Polícia nos próximos dias.

Os líderes do protesto que foram seguidos por várias centenas de opositores do Governo, conhecidos por "camisetas vermelhas", clamaram vitória depois que o Governo anunciou no sábado o cancelamento da conferência.

A irrupção dos manifestantes na sede das reuniões, sem quase não encontrar resistência apesar da presença dos soldados e da Polícia, levou o Governo a evacuar em helicóptero as autoridades e uma parte de suas comitivas.

Os manifestantes, partidários do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, deposto em 2006 por meio de um golpe de estado perpetrado pelos militares, exigiam a renúncia do Governo e a realização de eleições antecipadas.

A Tailândia está imersa em uma crise política que arrasta desde o levante militar contra o multimilionário Shinawatra, no exílio e condenado à revelia a dois anos de prisão por um delito de abuso de poder.

O Governo anunciou que a cúpula da Asean, será realizada em agosto próximo em uma cidade, ainda por determinar, da Tailândia.

EFE grc/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.