Um dos líderes da Al-Qaeda morre em bombardeio na Somália

Aviões não tripulados bombardearam o carro no qual ele viajava

EFE |

Bilal Albarjawi, um dos líderes da rede terrorista Al-Qaeda na Somália, e outros três membros do grupo fundamentalista islâmico somali Al Shabab morreram este sábado em "um ataque de drones" dos EUA (aviões não tripulados), que bombardearam o carro no qual viajavam perto de Mogadíscio.

Em entrevista coletiva convocada no final do sábado, o porta-voz da Al Shabab, Ali Mohamud Rage, conhecido como Ali Dhere, confirmou a morte de Albarjawi, libanês com passaporte britânico. "Drones dos Estados Unidos atacaram um irmão, líder da jihad (guerra santa). Felicitamos Albarjawi pelo certificado de mártir que conseguiu. Por isso deixou tanto Grã-Bretanha como o Líbano".

O ataque aconteceu enquanto o carro no qual viajavam circulava pelo povoado de Almada, nos arredores da capital somali, em uma região controlada pela Al Shabab, grupo vinculado à rede terrorista Al Qaeda. O porta-voz dos fundamentalistas somalis acrescentou que Albarjawi se uniu à "jihad na Somália" em 2006, durante o regime da União das Cortes Islâmicas, e que era um dos membros da Al Qaeda que organizaram e desenvolveram a atividade desse grupo na Somália.

Segundo um antigo membro da Al Shabab que pediu o anonimato, Albarjawi era um dos líderes mais influentes da Al-Qaeda e exercia o posto de comandante na frente de Mogadíscio, no conflito contra as tropas do Governo de transição somali e da missão da União Africana no país.

    Leia tudo sobre: SOMÁLIA CONFLITO

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG