Último veterano britânico da Primeira Guerra morre aos 111 anos

LONDRES - O britânico Harry Patch, um combatente que viveu os horrores das trincheiras da Primeira Guerra Mundial, morreu neste sábado, aos 111 anos.

Redação com AFP |

Reuters

Harry Patch em foto de 2008

O veterano, que morreu numa casa para idosos no sudoeste da Inglaterra, era o último "Tommy", como costumavam ser chamados, na época, os soldados britânicos, e lutou nos piores fronts da Grande Guerra.

Convocado quando tinha 18 anos, integrou a 7ª divisão de Infantaria Ligeira do Ducado da Cornualha. Após um rápido treino, participou, em 1917, da célebre Batalha de Passchendaele (Bélgica), na qual cerca de meio milhão de soldados perderam a vida.

Estão ainda vivos outros dois combatentes da Primeira Guerra Mundial: Claude Choules, um britânico de 108 anos que reside em Perth, oeste da Austrália, e o americano Frank Buckles, também de 108 anos. Estes dois, no entanto, não serviram em trincheiras: Choules era da Royal Navy e Buckles trabalhava em ambulâncias.

Um canadense de 109 anos, John F. Babcock, também é considerado um veterano, mas não chegou a combater. Mora atualmente nos Estados Unidos. O último "poilu" francês, Lazare Ponticelli, morreu no ano passado.

Leia mais sobre: Primeira Guerra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG