Última viagem de italiana rumo à eutanásia será em segredo

Roma, 17 dez (EFE).- A próxima viagem de Eluana de Englaro não será divulgada à imprensa, já que o ministro da Saúde soube pelos meios de comunicação que a jovem iria ser transferida a um hospital privado para que os aparelhos que a mantém viva sejam desligados.

EFE |

O advogado da família Englaro, Vittorio Angiolini, que esta tarde convocou uma coletiva de imprensa em Milão, anunciou que a transferência de Eluana será feita em segredo.

"O ministro soube pela imprensa que a transferência de Eluana era iminente e fez uma manobra de distração que, na minha opinião, foi feita para ganhar tempo", argumentou o advogado.

Eluana Englaro, uma mulher italiana de 38 anos em coma irreversível desde 1992, morrerá em uma clínica privada de Udine, que se mostrou disposta a retirar a sonda que a mantém com vida, conforme autorizou a Suprema Corte da Itália.

A clínica de Udine suspendeu "temporariamente" o processo, depois que algumas horas antes o Ministério da Saúde anunciasse o envio de uma circular a todas as regiões na qual proibia qualquer centro médico público ou privado de interromper a alimentação de pacientes em estado vegetativo. EFE cps/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG