Ulemás apóiam críticas ao Irã por expansão xiita a países árabes

Abu Dhabi, 16 out (EFE).- Uma influente organização internacional de ulemás muçulmanos, conhecida como Uium, deu apoio a seu secretário-geral, Youssef Qardawi, por ter criticado recentemente um suposto plano iraniano para expandir o xiismo nos países árabes.

EFE |

No comunicado final de sua última reunião em Doha, divulgado hoje pela imprensa local, a Uium diz que os comentários de Qardawi fazem parte de sua "responsabilidade religiosa quando chamou a atenção sobre os esforços (iranianos) para a um reativação dos conflitos sectários".

Em suas declarações, Qardawi, um dos ulemás (estudiosos do islã) sunitas mais influentes do mundo islâmico, advertia sobre um plano iraniano para expandir o xiismo pelo Egito e outros países árabes.

Além disso, qualificou os xiitas de muçulmanos "desviados".

Alguns iranianos, especialmente a agência de notícias "Mehr", responderam de forma contundente Qardawi, a quem acusam de "servir aos interesses do sionismo" na região.

Em sua nota, a Uium pede que se respeite as diferentes doutrinas, e quer que o Irã modere suas críticas.

"O Conselho (da Uium) pede à República Islâmica do Irã que assuma sua responsabilidade religiosa na hora de lutar contra os conflitos sectários, adotando medidas contra a agência de notícias 'Mehr' pelas mentiras e insultos em seu artigo contra Qardawi".

A Uium foi criada em 2004 com o objetivo de unir os diferentes credos muçulmanos para fortalecer o islã. EFE mym/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG